11

O que lhe é de direito


Denise Alves
                                                                                               
A mulher entra ofegante no Fórum, acordada desde às 5h da manhã saiu de casa deixando o almoço já pronto no fogão. Dirige-se a menina simpática que fornece as senhas, diz que precisa falar com o defensor, tem um assunto urgente que precisa resolver. É lhe dado uma senha 20 números acima da que pisca no painel eletrônico. É.... ter deixado o almoço pronto foi uma boa idéia. Ela aguarda pacientemente, precisa de uma reposta hoje.
Finalmente seu número é chamado. Ela levanta-se meio cambaleante, ficar sentada muito tempo lhe dói as costas, localiza o guichê indicado e começa a contar sua história para aquele rapazinho tão jovem.
 Menino preciso regularizar minha situação não quero continuar do jeito que estou.
 Pois não e qual seria a situação exatamente.
 É o seguinte: desde que meu marido faleceu eu fiquei recebendo por mês apenas a pensão do INSS e o dinheiro sabe como é, é pouco, não dá pra terminar o mês, eu ainda tenho duas crianças dentro de casa para cuidar. Como nós tínhamos comprado um pequeno terreno antes dele morrer decidi vender o terreno e guardar o dinheiro no banco para completar os pagamentos do mês. Minha amiga Maria soube que eu tinha um dinheiro guardado e me pediu um pouco emprestado dizendo que me devolvia logo e com um pouquinho a mais para compensar os juros da poupança. Aí eu emprestei o dinheiro e sem perceber outras pessoas começaram a me pedir também e eu continuei a emprestar, e quando elas devolviam eu tinha mais dinheiro do que no início, assim tá dando para criar bem as meninas. Só que eu não quero ficar assim, quero regularizar minha situação, não quero ficar na informalidade, e aí como é que eu faço?
 E por exemplo se eu pegasse cem reais emprestado com a senhora, quanto eu teria que devolver?
 Bom... eu lhe emprestaria até o próximo mês e você me devolveria cento e dez reais.
 E se eu não tivesse o dinheiro na data que eu disse que ia pagar e deixasse então para devolver no mês seguinte. Quanto eu pagaria?
 Aí eu iria querer receber cento e vinte reais.
 Então os juros mensais que a senhora cobra do pessoal é de cerca de 10% do valor emprestado, é isso?
 É mais ou menos isso. Eu estou fazendo direitinho?
O defensor olha para aquela senhora tão simpática ali sentada contando um pouco da história da sua vida e sem saber o porquê dela achar que resolveria a sua 'situação' no Fórum, mas dá graças a Deus por ela ter ido ali e não em uma delegacia de polícia com o mesmo pedido, ele se inclina para frente e com muita delicadeza diz a mulher:
 Minha senhora pelo que pude entender a senhora tem emprestado dinheiro a juros muito altos, nós chamamos isso de agiotagem, e no Brasil, agiotagem é crime! Simplesmente não podemos regularizar a sua situação.
A situação acima não é de todo mera ficção. Fala de uma pessoa que formula um pedido que simplesmente não pode ser atendido porque ele contraria frontalmente a legislação em vigor, que atualmente define agiotagem como crime e portanto passível de punição. (Lei nº 1.521, de 26 de dezembro de 1951 – crimes contra a economia popular)
Isso me recorda várias outras situações que ocorrem no meio do povo de Deus. Como povo brasileiro em geral, temos sido diariamente bombardeados com informações que nos lembram que vivemos em um Estado Democrático de Direito e que portanto temos direitos a serem garantidos!
No meio dos cristãos ocorre uma situação similar. Uma onda de doutrinas que pregam excessivamente sobre os direitos adquiridos por Jesus na cruz para nós, tem criado uma massa de pessoas que acredita piamente que possui vários direitos que devem ser respeitados, não só pelas outras pessoas, mas pelo inferno em peso e até pelo próprio Deus.
Uma música de Bruna Karla em especial me preocupa, pois traz em si esse conceito de direitos.
Posso descansar o meu coração
Ele me defende do acusador
Meu advogado é o meu Senhor
Minha causa entreguei em Suas mãos
Minha audiência ele já marcou
E garantiu de novo que eu serei o vencedor
Meu advogado mora lá no céu
Verdadeiro justo, pra sempre fiel
Uma primeira leitura dessa música nos fornece a imagem de Jesus como o nosso advogado, defendendo nossa causa perante o céu e o inferno. Mas com um problema: ela não especifica qual seria a 'causa'. Então juntando essa imagem de um advogado infalível com a idéia amplamente difundida de que o cristão é um ser detentor de todos os direitos nos céus e na terra, temos a elaboração de uma bomba de frustração.
Frustração porque muitos não vão entender o motivo pelo qual a causa foi perdida! Porque o pedido não foi atendido já que Jesus é infalível! E a razão é simples: porque ele não estava com você nessa causa e por isso não lhe garantiu nada sobre o resultado da oração.
O livro de Tiago nos lembra algo muito significativo: “Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres” (Tg 4.2,3). Juntando com o que João nos fala: “E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos” (1 João 5:14-15) Temos uma visão balanceada do que é mal interpretado em Mateus: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á” (MT 7:7): Só recebemos se realmente tivermos direito.
Jesus realmente é um advogado fiel, mas não à causas particulares, e sim à sua Palavra, ele não é um advogado que dá um 'jeitinho', que diz que o culpado é inocente, que torce a justiça em favor dos seus filhos. Esse não é o Jesus bíblico! esse pode ser o Jesus pregado em muitos púlpitos, mas a  má compreensão de sua Palavra não invalida seus princípios.
Tanta frustração no meio cristão em razão de não compreender que nem sempre a acusação do Diabo é uma mentira, em certas situações ele tem razão mesmo! E como é que Deus, que é justo por natureza, vai atender um pedido que afronta Sua palavra, só porque um filho quer porque quer ser um vencedor?
Ele diz em Oséias: O meu povo perece por falta de conhecimento. (Oséias 4:6). Em uma época onde informações são torrencialmente difundidas exige-se um filtro de interpretação para a produção de conhecimento realmente bíblico, fundamentado na própria Bíblia e não em achismos, o que Paulo vai chamar de 'alimento sólido', que gere filhos maduros a ouvir de seu Pai: Não posso regularizar sua situação, pois o que você está me pedindo é contrário à Lei da Graça.

11 comentários:

  1. Boa esta palavra mas, ainda cabem algumas interpolações:
    Um filho de Deus tem direitos e obrigações? como os demais? Claro que sim. Não nego o mal uso que o triunfalismo evangélico tem feito de alguns textos para citar e dizer que algo tem que acontecer na vida dos cristãos mas, nós temos direito se crermos a Vida Eterna pois assim nos diz Jo 31.16,5.24 entre outros. Temos direito a cura de nossos corpos doentes pois a escritura diz que "pelas suas pisaduras fomos curados" (1Pe 2.24), temos em todo o novo testamento que onde Jesus foi "curou a TODOS"(Mt 12.15), a ÚNICA VEZ QUE NÃO CUROU TODOS FOI QUANDO SEUS IRMÃOS NÃO CRERAM NELE numa visita que fez a sua familia no meio de seu ministério! Portanto, não há razão para não termos nosso direito a cura. Quando não entendemos nossos direitos ai sim, como vamos poder obte-los???
    Segundo. Quem fala de "Alimento Sólido" não é Paulo mas, Apolo (ou Se quiser, o Autor anónimo aos Hebreus), segundo os Teólogos e Historiadores Cristãos Paulo não escreveu aquela epístola...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá querido irmão Pr. Benevides, apaz do Senhor! Que bom receber comentários em meu singelo blog de alguém tão aplicado ao estudo da Santa palavra, muito pertinente seus comentários, e por que não dizer sua contibuíção para a mensagem da irmã Denise Alves, vou aguardar que ela faça a réplica!Deus continue te abençoando...Um abraço para irmã Denise(sua querida esposa), e coloco-me a disposição quando o senhor desejar publicar algo em nosso blog, o meu ou do Pr. Rberto, tá?!Em Cristo somos mais que vencedores...Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Vamos festejar os 500? Vem! Tô te esperando! Só falta você! Uma 4ªF iluminada e repleta de bênçãos! Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Obrigada querida já peguei o selinho!!!Volte sempre...Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigada pelas palavras gentis e carinhosas!Uma 5ªF iluminada e abençoada! Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Essa postagem realmente tem um conteúdo muito importante! Na linguagem processual isso se chama PEDIDO JURIDICAMENTE IMPOSSÍVEL e no reino espiritual é perfeitamente coerente fazer uma analogia e chamar de PEDIDO ESPIRITUALMENTE IMPOSSÍVEL, embora Deus tenha o poder para fazer todas as coisas, jamais podemos incidir no erro de afrontar o senso de justiça do nosso Deus! Nem sempre as nossas causas, os nossos anseios e o nosso senso de "justiça" está perfeitamente enquadrado com a vontade do Senhor! Realmente há um perigo em se crer nesses supostos "direitos adquiridos" e isso gerar uma frustração e uma decepção com o Senhor! Philip Yancey trata disso muito bem no livro "Decepcionado com Deus", eu recomendo!

    ResponderExcluir
  7. Opa...Doutora Rosangela! Acho que a professora da história é mesmo vc né? rsrsrsrss...Ok, tenho vários artigos pra enviar. Como devo proceder? tenho um legal sobre roupas (costumes)...muito legal.
    Paz de Cristo seja sobre vós!

    ResponderExcluir
  8. Opa! ...Doutora Rosangela! A professora da história acho que é vc né? rsrsrs...Tenho uns artigos pra compartilhar contigo no seu Blog ou no do Pr.Roberto (também sou seguidor) sobre costumes e Doutrina...como devo proceder?
    Paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  9. Olá Pastor, a paz do Senhor!Será um prazer publicar seu artigo, nos envie por email, tá?!(rosangela_mco@hotmail.com)
    Aguardarei!

    ResponderExcluir
  10. oie, li agora os comentário... e ops.... errei na autoria da citação bíblica, fica aí a correção do Pr. Adilson Benevides.

    ResponderExcluir
  11. E Andréa, concordo com a sua sugestão de leitura, tenho praticamente todos os de Yancey e inclusive estou relendo 'A bíblia que Jesus lia'. Não são livros populares por tratarem com muita transparência sobre temas que a igreja finge não existir.. mas para os corajosos, RECOMENDO, também...

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar, volte sempre!

Comentários recentes

Conheça a história da Assembléia de Deus de Sergipe



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!