Quem creu em nossa pregação?

*É com imensa satisfação que publico um texto produzido por uma excelente aluna da Classe Ester, a advogada Denise alves, a você querida minha gratidão!

Estou chegando a uma conclusão: Nós não precisamos ouvir mais pregações. Deixe-me
explicar. Se você já tem uns 10 anos de 'crente', como dizem, você já ouviu um grande quantidade
de pregações. Senão, façamos um pequeno cálculo: um mês possui em média 4 semanas, se você
vai à igreja apenas uma vez por semana e duas vezes no domingo, o que inclui a EBD e o culto
noturno, contamos com 3 pregações por semana. 12 por mês. 144 por ano. E nos seus últimos 10
anos, são 1.440 pregações. Sem contar as que ouvimos no rádio, nos encontros de finais de semana,
retiros, programação festiva e outras ocasiões nas quais mantemos contato com a ministração da
Palavra de Deus. Ou seja, de pregações temos uma grande cota.
A pergunta que fica é: Em quantas cremos? Não que tenhamos que acreditar em tudo
que nos é ministrado, mesmo porque a própria Bíblia diz que devemos 'provar o espírito dos
profetas'(1 Jo 4.1-2), 'verificar para vê se assim é' (At 17.11) , como os crentes de Beréia. O que
estou falando é sobre pregações bíblicas, firmadas na Palavra, 'de Deus mesmo!'. Em quantas
cremos?
A primeira resposta que possivelmente nos vem a mente é: Em todas! Talvez eu precise
modificar um pouco a pergunta para me fazer compreender: Quantas pregações você colocou em
prática? Sabe aquela que falava sobre perdão? Você já perdoou quem te vem a mente? E aquela
sobre a Grande Comissão? Para quantas pessoas você já falou sobre a volta de Jesus essa semana?
Isso porque crer é mais do que declarar, mais do que um simples dizer que tem fé,
implica tomar uma atitude. Nós entendemos isso tão bem no nosso dia-dia. Sabe essa cadeira na
qual você está sentado agora? Antes de sentar nela pela primeira vez, você só o fez porque
acreditou, creu, confiou que ela aguentaria o seu peso e não lhe deixaria cair. Se não cresse, não
sentaria não é mesmo?
Assim, utilizando a mesma lógica, por qual o motivo continuamos correndo
desesperadamente atrás de um político quando na noite anterior ouvimos Deus dizer Ele é o nosso
socorro? Por que mesmo com Deus gritando que ele já levou sobre si todas as nossas enfermidades,
tememos que a cura não venha? A resposta sincera deve ser: porque não cremos.
Em uma letra da música, Fernandinho, faz uma interessante declaração:
Sei que estás comigo Senhor, também sei que nada acontece, sem a tua vontade
Mas preciso aprender a confiar em ti,
Preciso aprender a descansar em ti.
Porque há uma distância muito grande entre saber e crer. Sabemos muitas coisas sobre
Deus, sobre quem Ele é, e sobre o que Ele faz. Mas cremos em poucas delas, porque descansamos
pouco. A pergunta do profeta continua hoje tão atual quanto quando proferida. (Is 53.11) Quem crer
na pregação? Quem descansa na pregação? Quem confia que acontecerá o que é dito por Deus
através da pregação?
Bom... o tema dessa ministração é esse. Mas... quem vai crer?

                                                                                          Denise Alves

Comentários recentes

Conheça a história da Assembléia de Deus de Sergipe



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!