Blog do Ciro: Vem aí o Projeto de Lei número 666!

Você deve conhecer isto

Imagem relacionada

Blog do Ciro: Vem aí o Projeto de Lei número 666!: Pressione a tecla [ironia] . Estou preocupado com a degradação moral da sociedade, no Brasil e no mundo. E acredito que as coisas poderão ...
0

LEIA ESTA CARTA

Resultado de imagem para imagem da reforma protestante 500 ano


Por: Denise Alves 
“Ordeno-lhes, em nome do Senhor, que leiam esta carta a todos os irmãos” 1 Ts. 5.27
No ano de comemoração dos 500 anos da Reforma Protestante cabe um lembrete, senão um alerta e quem sabe uma exortação: valorize o acesso à bíblia.
Porque há não mais de 500 anos uma pessoa normal do povo não poderia lê-la livremente – na verdade em alguns lugares do mundo ainda não podem, mas isso não se aplica a você que me ler agora. Uma série de revoluções, sempre marcadas com muito sangue, foram necessárias para que esse livro hoje presente na cabeceira de tantos hospitais e presídios pudesse ser usado como adorno de muitas salas de estar – não foi para isso que se lutou!
Primeiro houve uma série de lutas para que o texto sagrado fosse traduzido para língua comum do povo, algo tão simples hoje, não o era até bem pouco tempo. Originalmente escrito em hebraico, aramaico, grego e latim, em uma época de quase total analfabetismo, ter conhecimento acerca do que estava contido naquelas páginas, era algo praticamente mítico – reservado apenas os sacerdotes, homens representantes de Deus na terra e cabia a eles, e somente a eles, revelá-la ao demais seres humanos.
Note que, em tempos de alto índice de analfabetismo, somado ao elevado valor monetário do exemplar bíblico, tal intermediação, como podemos ver no texto de Paulo aos cristãos de Tessalônica, era necessária para que o conteúdo da Palavra de Deus pudesse chegar ao maior número possível de pessoas. Mas nunca esteve implícito que somente os líderes detivessem o acesso à bíblia – até então não compiladas, apenas cartas circulares.
A ideia presente nesse versículo da carta aos tessalonicenses “Leiam esta carta a todos os irmãos” expressa o macro desejo de Deus de ser conhecido por todos, de que sua revelação esteja ao alcance de todos – de modo fácil compreensível – para que até mesmo as criancinhas a possa entender (Lucas 10:21). A ordem de difusão da Verdade se baseia no princípio de salvação universal, disponível e acessível a todos. (Atos.17.27: para que tateando O pudessem encontrar).
Deus nunca desejou a segregação, a separação intelectual no meio do seu povo, o conhecimento limitado, restrito; antes sempre trabalhou pela difusão, fácil compreensão, não foi por acaso o uso literário da parábola para o ensino utilizado por Jesus.
Hoje temos a sua Palavra traduzida, impressa a preço acessível, disponibilizada gratuitamente na internet, temos a carta que Deus escreveu para nós ao nosso alcance. Não a despreze, pois há 500 anos muitos desejaram ter/ver o que temos hoje e não puderam (Mt 13.17). Em respeito a eles, em cumprimento à Palavra, para seu próprio benefício, Leia esta carta.

Que possamos celebrar os 500 anos da Reforma valorizando a sua base, a Bíblia, a revelação, a Verdade, pois a conhecendo nos libertamos, e para ela nos voltamos, para de fato, termos a Vida em nós.
0

Conhecimento



↑Esses são alguns conceitos que o Dicionário MICHAELIS nos mostra  do que é conhecimento.
A palavra do Senhor nos diz:↓
O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução. ( Versão Almeida Revista e Atualizada)
Porque meu povo se perde por falta de conhecimento; por teres rejeitado a instruçãoOseias 4:6
" E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." João 8:32
Quando tememos a Deus adquirimos conhecimento,e essa aquisição nos torna sensatos e misericordiosos,passamos a tomar atitudes conscientes, pensando no coletivo e não em nosso próprio umbigo, ou seja, o conhecimento nos afasta do egoísmo, e o desejo de compartilhar brota como a flores na primavera!É assim , ou estou exagerando?
O que me trouxe o desejo de escrever sobre o assunto é o que vejo ao redor: Quanto mais conhecimento o ser humano adquire, mais torna-se egoísta, dono do "Mundo", olhando o próximo de cima para baixo, sem se importar com as angústias alheias,com a dor de quem está tão perto de nós!
Quem tem conhecimento

é comedido no falar,
e quem tem entendimento

é de espírito sereno.(Pv 17.27)
Isso nos lembra a misericórdia, quando um dos domésticos na fé, tropeçam, temos o Conhecimento(Temor),por isso não nos é prazeroso, propagar, nos amamos, não nos destruímos mutuamente,cuidamos para que a vida do próximo não seja exposta, somos comedidos no falar, temos o espírito sereno,temos Conhecimento, ou não?
Não faz bem a quem tem conhecimento acumular dores, nem mesmo a quem , como juizes, achamos que merece sofrer.
Se conheço a palavra Fiel e não a pratico, sou semelhante ao que construiu sua casa na areia, não resistirei a tempestades, não erei feliz nas adversidades desta vida, o que eu tenho feito com o conhecimento recebido? Tem compartilhado o temor do Senhor, ou tenho me colocado na posição de juiz?
Errais, não conhecendo as Escrituras,  
 nem o poder de Deus."   Mt 22.29
Vamos refletir um pouquinho?Por que e  onde estou errando?
Todo conhecimento cientifico ou popular precisa ser adquirido, esse texto não tem o objetivo de dizer-vos: Não precisa estudar, basta temer ao Senhor,jamais, quero dizer: Tudo começa no Temor ao Senhor!
Busque o conhecimento, escreva livros, poemas, poesias,músicas, mas tema a Deus e seu conhecimento fará de você alguém acessível, amável!Siga o exemplo do sábio Salomão↓


                                                             
Ele escreveu três mil provérbios e compôs mais de mil canções. 
Ele escreveu três mil provérbios e compôs mais de mil canções.
(I Rs 4.32)
Um abraço cheio de paz!
1

No final, o que importa?


Denise Alves


São tantos os estímulos, tanta as direções possíveis e muitas as escolhas que precisamos fazer durante o curto período de tempo que vivemos aqui na Terra, e sabemos que cada decisão que tomamos nos levará em um determinado caminho, anulando e desmanchando todos os outros. É como se, enquanto estamos parados houvesse uma infinidade de trajetos possíveis descortinados a nossa frente, mas no exato segundo que nos movemos na direção de um deles, ou seja, escolhemos algum, os demais desaparecem, são apagados, virou passado, está inacessível.
Por essa razão considero muito importante refletir sobre quais são as decisões que de fato importam/fazem diferença na construção de uma vida cristã alinhada com a Bíblia. Lembra desse texto: “Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo. No entanto existem vários tipos de materiais que podem ser usados para construir sobre esse alicerce. Alguns usam ouro, prata e pedras preciosas; e outros constroem com madeira, com feno e até mesmo com palha” (I Co 3.11-12)
Uma vez que estamos em Cristo, como devemos construir/viver? O que de fato vai importar no dia de prestação de contas? Quais os critérios que serão utilizados? Sei que há muitas teorias a respeito mas quero hoje destacar alguns textos para a nossa reflexão.
Mas quando o Filho do Homem vier em sua glória com todos os seus anjos, eles se assentará no seu trono de glória celestial. Todas as nações serão reunidas diante dele e ele separar

á as pessoas, como um pastor separa as ovelhas dos bodes. E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes a sua esquerda. Então o Rei dirá àqueles à sua direita: Venham benditos do meu Pai, para o reino preparado para vocês desde a criação do mundo. Porque eu tive fome e vocês me deram de comer, tive sede e vocês me deram de beber, eu era um estranho e vocês me convidaram para suas casas, estive nu e vocês me vestiram, eu estive doente e vocês cuidaram de mim, estive na prisão e vocês me visitaram. Então os justos responderão: Senhor quando fomos que vimos o Senhor com fome, ou com sede, ou estranho e o socorremos, ou nu e o vestimos, e quando foi que o vimos doente ou preso? E o Rei lhes dirá: Digo a verdade a vocês, quando vocês fizeram isso ao menor destes meus irmãos, estavam fazendo a mim” (Mt 25.31-40)
E o texto continua mostrando o lamento daqueles que não foram aceitos, ao que o Senhor responde: “Digo a verdade a vocês, quando se recusaram a socorrer ao menor dos meus irmãos, vocês estavam se recusando a ajudam a mim” (v. 45).
Observe que final, no dia de acerto de contas, o Senhor não procurou saber quem prosperou na terra e se tornou milionário, nunca adoeceu, ou quantas horas de oração passou de joelhos? Ele não levou em consideração sequer quem era pastor, missionário, falava em outras línguas ou se ofertava na igreja. Apesar de todos terem por base o Senhor ele considerou 'de valor' as atitudes citadas acima, atitudes alinhadas com o amor ao próximo.
Pensamento corroborado por Tiago: De que adianta ter fé se não houver obras? “Mostrarei a minha fé pelas minhas obras” (Tg 2.18). Que tipo de obras? Aquela que prioriza o outro. Quando perguntado pelos discípulos qual seria o mandamento mais importante a ser cumprido, Jesus diversas vezes respondeu: O amor. Primeiro a Deus e depois pelos outros. “Nisso se cumpre toda a Lei” (Mt 22.40)
Daí surge minha inquietação: porque a Igreja, que se autodenomina representante de Deus na Terra, gasta tanto tempo ensinando coisas que no final nem sequer serão consideradas por Deus. Porque textos como esses pouco fazem parte do dia-dia litúrgico? Será que de fato estamos vivendo o evangelho do Senhor Jesus, ou como disse Paulo, já estamos pregando um “outro evangelho”(Gl 1.9)?
“No dia do juízo muitos me dirão: Senhor, Senhor, não profetizamos a seu respeito e usamos o seu nome para expulsar demônios e para fazer muitos milagres? Mas eu responderei, Vocês nunca foram meus, vão embora porque suas obras são más.” (Mt 7.22-23).
Estamos escolhendo bem o tipo de material a ser usado na construção de nossa vida com Deus? Estamos fazendo bom uso do nosso tempo na Terra ao fazer as escolhas certas ou estamos apenas perdendo tempo ao tomar a direção errada? Fica o alerta da santa ceia: Examine pois o homem a si mesmo (I Co 11.28), pois cada um dará conta de si mesmo a Deus. (Rm 14.12)
Que Deus tenha misericórdia de cada um de nós.


Comentários recentes

Conheça a história da Assembléia de Deus de Sergipe



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!